arquivo 2018 – jan / fev / mar

Missa do Coelho 2018

POST30 Março 22h

A Elephante MUSIK apresenta a Missa do Coelho 2018!
Concertos de Jerónimo, Putas Bêbadas, Máquina del Amor e David Bruno(dB).
A Missa do Coelho 2018 é organizada pela Elephante MUSIK e pelo Estúdio Lobo Mau e conta com o apoio do Município de Guimarães Comunicação.

EGO#5 Plastic Man

post

Plastic Man

9 Março / 23:30

Nascidos em 2013, Plastic Man fazem um rock inspirado nas experiências psicadélicas dos anos 1960, entre outras influências, com as quais construíram o seu disco de estreia “Don’t Look at the Moon”. O registo, lançado em 2015, levou-os a circular um pouco por toda a Europa. Nunca tocaram, no entanto, em Portugal. A 9 de Março, estreiam-se finalmente por cá, com um concerto em Guimarães que abre uma digressão de seis datas no país.

O quarteto italiano toca no Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura (23h30), encerrando o primeiro trimestre da programação do ciclo EGO, promovido pela Capivara Azul – Associação Cultural.

Guimarães é a primeira data portuguesa para os italianos, que tocam ainda em Viana do Castelo, Porto, Coimbra, Lisboa e Évora. No espetáculo, os Plastic Man vão mostrar o material do novo trabalho discográfico, “Sounding Aquarium”, que tem edição para Abril de 2018 pela Annibale Records.

Vindos dos arredores de Florença, em Itália, trazem na bagagem a sua música influenciada por compilações psych dos anos 1960 e uma mistura de estilos que vai buscar influências ao acid rock, garage punk e stoner.

Raffaele Lampronti (guitarra e voz), Donato Guitto (guitarra e voz), Mattia Gabbrielli (baixo e voz) e Giacomo Papini (bateria) juntaram-se em 2013, criando o seu primeiro EP de quatro faixas, “Light & Dark”, editado em vinil pela Misty Lane. Dois anos depois, lançaram o álbum de estreia, que os levou à Alemanha, França, Suíça, Inglaterra, Bélgica e Holanda, por exemplo.

O concerto tem início marcado para as 23h30 no CAAA Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura. O público pode ainda visitar a exposição Kodak Moon Man, do artista vimaranense Basttuz (Pedro Bastos), que está patente até 31 de Março nas galerias daquele espaço cultural. As entradas custam 3 euros. Os sócios do CAAA têm a oferta de uma cerveja.

O concerto de Plastic Man é a terceira data do EGO em 2018, encerrando um primeiro trimestre de programação que já trouxe a Guimarães Grandfather’s House, Quadra e Panado. Este ciclo é promovido pela Capivara Azul – Associação Cultural, com a intenção de trazer à cidade projectos musicais que venham tocar pela primeira vez na cidade, com especial atenção ao território do rock alternativo. As datas dos concertos de Abril, Maio e Junho já estão fechadas e serão anunciadas em breve.

Ao longo do 2018, a programação regular deste ciclo tem o apoio da Câmara Municipal de Guimarães, através do  Regulamento de Atribuição de Subsídios às Atividades das Entidades que Prossigam Fins Culturais, Artísticos, Recreativos ou Humanitários do Município de Guimarães. Tem como parceiros o Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, Estúdio Lobo Mau, Cerveja Letra, Rádio Universitária do Minho e Headliner.

 

Mais informações nos links abaixo

facebook Plastic Man https://www.facebook.com/plasticmanband/

bandcamp Plastic Man https://plasticmanband.bandcamp.com/

facebook Capivara Azul https://www.facebook.com/Capivara-Azul-1533429536676069/

 Contactos Capivara Azul – Associação Cultural

Luísa Alvão – Presidente 913 399 544

Samuel Silva – Comunicação 964261541

EGO#4 – QUADRA+PANADO

SÁBADO 24, 22:30

3 EGOS

Sócios CAAA 3 EGOS+1 fino

Primeiro disco de Quadra tem ante-estreia em Guimarães

Chama-se “Cacau” e será o primeiro disco dos Quadra, projecto de rock instrumental de Braga, que no ano passado se estreou nos registos de estúdio com um muito elogiado EP. O longa-duração tem edição marcada para o próximo mês, mas, antes disso, será tocado na íntegra pela primeira vez no dia 24 de Fevereiro em Guimarães. É o segundo concerto do ano do ciclo de programação EGO, onde também tocam os lisboetas Panado.

Com o novo disco a caminho e o primeiro single de avanço pronto a ser lançado, o quinteto bracarense faz uma ante-estreia ao vivo das novas composições da sua música instrumental, feita sobretudo dentro do universo pós-rock. Foi também neste território que compuseram o EP de cinco temas auto-intitulado, que lançaram no ano passado.

Esse registo foi considerado pelo site especializado em música portuguesa Produto Interno Bruto como um dos melhores nacionais do ano. A banda foi também apontada como uma das 20 revelações nacionais para a publicação Threshold Magazine.

O projecto constituído por Sérgio Alves (baixo), Sílvio Ren (guitarra), Lucas Palmeira (teclas), Hugo Couto (bateria) e Gonçalo Carneiro (guitarra) vai apresentar-se em Guimarães a 24 de Fevereiro, no segundo concerto do ano de programação do EGO.

Na segunda noite do ano do ciclo promovido pela Capivara Azul – Associação Cultural tocam também os lisboetas Panado, trio de rock proveniente de Lisboa que propõe uma viagem alucinante ao rock sónico dos anos 90, misturada numa nuvem de delay e melodias hipnóticas.

Os três putos, como se intitulam, estrearam-se em Julho do ano passado com um longa-duração, “Juventude Coxa”, a que se seguiu, no último dia de Natal, uma nova entrega: “Sentido Rato”, EP com quatro novas músicas. É por esses dois discos que passará o concerto que marcará a estreia de Diogo Vítor (guitarra e voz), Lourenço Dias (baixo e voz) e Bernardo Moreira (bateria) em Guimarães.

Os concertos têm início marcado para as 23h00 no Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura (CAAA). As portas do recinto abrem às 22h30, permitindo ao público visitar a exposição Kodak Moon Man, do artista vimaranense Basttuz (Pedro Bastos), que está patente até 31 de Março nas galerias daquele espaço cultural.

O after-hours da noite será garantido por Ritalin (Rita Rocha), especialista em ritmos para pessoas com défice de atenção. As entradas custam 3 euros. Os sócios do CAAA têm a oferta de uma cerveja.

O ciclo EGO continua no dia 9 de Março, com a estreia em Portugal dos italianos Plastic Man, que vão mostrar o material do novo trabalho discográfico, “Sounding Aquarium”, que tem edição para Abril pela Annibale Records.

EGO é a programação regular de música da Capivara Azul – Associação Cultural, que se estreou em Novembro do ano passado, com um concerto duplo internacional – as norte-americanas Leggy e os bascos Albert Cavalier. Krake e Granfather’s House também já passaram pela programação, cuja intenção é trazer a Guimarães projectos musicais que toquem pela primeira vez na cidade, com especial atenção ao território do rock alternativo.

Ao longo do 2018, a programação regular deste ciclo terá o apoio da Câmara Municipal de Guimarães, através do  Regulamento de Atribuição de Subsídios às Atividades das Entidades que Prossigam Fins Culturais, Artísticos, Recreativos ou Humanitários do Município de Guimarães. Tem como parceiros o Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, Estúdio Lobo Mau, Cerveja Letra, Rádio Universitária do Minho e Headliner.

 

 

Mais informações nos links abaixo

facebook Quadra https://www.facebook.com/Quadraa/

bandcamp Quadra https://quadraband.bandcamp.com/

facebook Panado https://www.facebook.com/ospanado/

bandcamp Panado https://ospanado.bandcamp.com/

facebook Capivara Azul https://www.facebook.com/Capivara-Azul-1533429536676069/

Contactos Capivara Azul – Associação Cultural

Luísa Alvão – Presidente 913 399 544

Samuel Silva – Comunicação 964261541

Sakasama, de Chihiro Ito

ChihiroItoSakasama150x15024 Fevereiro a 31 Março

SUNFLOWERS + ELEPHANT MAZE

dd

16 Fevereiro , 22:00h

Sócios: 3€ (fino de oferta)

Não sócios: 3€

SUNFLOWERS
Dito pelos próprios “Somos uma banda rock e tocamos música rock para pessoas que gostam
de ouvir música rock e assistir a concertos de música rock. Mais info sobre nós, vão ao
Google.”
Os SUNFLOWERS voltam às edições com “Castle Spell”, o seu muito aguardado segundo
álbum.
Para comemorar o anúncio, partilham connosco o primeiro single e faixa que dá nome ao
álbum, “Castle Spell”:
“A “Castle Spell” deixa um sentimento de paranóia no ar. É uma música sobre estar
encurralado dentro de um castelo no sul de França com uma entidade psicótica que tem como
único objectivo devorar-te a alma. Quisemos que soasse a algo repetitivo, paranóico e
flutuante. Quisemos que quem ouça a música inserida no álbum sinta a história de onde veio e
para onde vai. Deve ter sido das primeiras músicas que escrevemos para este álbum e que
ditou o trajecto do mesmo.” – Carlos Jesus
O álbum “Castle Spell” sairá a 9 de Fevereiro de 2018 e terá uma edição em vinil duplo e CD
pelas editoras Stolen Body Records e Only Lovers Records, e uma edição especial de
cassete pel’O Cão da Garagem.

Bandcamp: https://thesunflowersmusic.bandcamp.com/

ELEPHANT MAZE

Os Elephant Maze são uma banda formada em Lisboa, em meados de 2017. A banda é composta por dois jovens músicos que, juntando as construções sonoras e os timbres que retiram dos seus instrumentos, criam moléculas compostas por átomos de garage rock alternativo enfeitado em tons de psicadelia. Este composto químico é já responsável por um par de músicas. cujas gravações culminaram no lançamento, em Setembro de 2017, do primeiro single “Deaffuzz”. O single inclui a faixa que lhe dá o nome, bem como uma faixa extra (o b-side “To Conflate”) e estas músicas não só contrastam nas texturas que se dedicam a explorar, como também se intersetam naquilo que as torna particulares. “Deaffuzz” é o lançamento que abre as portas ao que aí vem e serve como cartão de visita para concertos que já provaram ser destrutivos q.b e para os lançamentos que se avizinham

KODAK MOON MAN, BASTTUZ

POST

Inauguração 2 de Fevereiro 21h30 / até 31 de Março
“Estas palavras pintadas com tinta a desbotar sobre uma chapa enferrujada, em nada remetem para o carácter espacial, tecnológico e futurista do Homem no  espaço. Mas a sua alusão de imediato nos faz imaginar  o primeiro homem na lua com uma câmara fotográfica na mão.”
Nesta nova exposição de BASTTUZ (Pedro Bastos, 1980), são apresentados os últimos trabalhos de pintura e vídeo produzidos nos últimos dois anos. Depois de ter estado presente na Bienal de Jovens Creadores Europeus 2015/2017, Basttuz(1996) continua a sua exploração plástica, influenciado pela literatura e pela ficção cientifica; ou ainda, pela pseudoKabbalah; pelas teorias da conspiração da internet; mitos urbanos, etc.
Basttuz recorre ao uso de uma linguagem que parece emular a eterna adolescência dos jogos arcada e dos grafites toscos por detrás do pavilhão do liceu; como se fosse uma vontade de perpetuar as inerentes certezas adolescentes de 1996, estudadas à margem da escola, através do rock e da insurreição contra toda e qualquer doutrina.

PEDRO BASTOS (BASTTUZ)

Nasceu em Guimarães em 1980. É artista plástico, cineasta, poeta e argumentista. Os seus filmes, “Ao Lobo da Madragoa” e “Cabeça D’Asno” têm sido apresentados em vários festivais nacionais e internacionais, tais Tyger-Internacional Film Festival of Rotterdam; Mostra de São Paulo, Festival du Nouveau Cinéma Montreal, IndieLisboa, Curtas de Vila do Conde, etc. Em 2015 fez parte da JCE- Bienal de Jovens Criadores Europeus 2015/17, resultando numa exposição colectiva presente vários países como França, Dinamarca, Letónia, Polóna, Itália, Espanha e Portugal. Trabalhou como argumentista em filmes dos realizadores Rodrigo Areias, Jorge Quintela, David Doutel & Vasco Sá.

Expõe regularmente desde 2012 em exposições individuais e colectivas. As suas obras fazem parte de coleções privadas nacionais e internacionais.

Web: http://www.curtas.pt/agencia/realizadores/839/

http://www.centroaaa.org/index.php/arquivo2013-janfevmar/ao-lobo-da-madragoa-de-pedro-bastos-16-fev-17-mar

EGO #3 – Grandfather’s House

Cartaz

27 Janeiro, 22:30h

Sócios: 3€ (fino de oferta)

Não sócios: 3€

São os autores de um dos discos nacionais do ano e uma das bandas emergentes mais
reconhecidas pelo público português, mas só agora se estreiam em Guimarães. Os
Grandfather’s House tocam pela primeira vez na cidade, a 27 de Janeiro, na abertura do ano
de programação EGO, promovido pela Capivara Azul – Associação Cultural. No primeiro
trimestre passam também por este ciclo Quadra e os italianos Plastic Man
“Diving”, o segundo disco de Grandfather’s House, foi recentemente considerado pelos
leitores da revista Blitz como o segundo melhor do ano em Portugal, prova do apreço que o
público tem pela banda de Braga. Com mais de 300 concertos no país – bem como duas
digressões europeias – e passagens por palcos míticos com o do festival Paredes de Coura e o
da Festa do Avante, esta é uma das jovens bandas portuguesas com mais experiência de palco
nos dias que correm.
O novo álbum de Grandfather’s House teve lugar de destaque na generalidade das listas dos
melhores álbuns nacionais de 2017. Segue-se a “Slow Move”, o primeiro longa-duração, de
2016, também muito bem recebido pelo público e a crítica.
No registo lançado em Setembro, a banda abraça o “synth-pop”, resultado de uma residência
artística no espaço gnration (Braga). Conta com as participações de Adolfo Luxúria Canibal,
Nuno Gonçalves e Mário Afonso, na voz, teclados e saxofone, respetivamente.
Grandfather’s House nasceu em 2012 como um projecto one-man- band do guitarrista Tiago
Sampaio, a que se juntou, pouco tempo depois, a sua irmã Rita Sampaio, na voz e
sintetizadores. Recentemente, a banda anunciou uma mudança de composição com Ana João
Oliveira a assumir a bateria.
O primeiro concerto de Grandfather’s House em Guimarães acontece a 27 de Janeiro, no
Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura (CAAA), a partir das 22h30.
O espetáculo marca o arranque do primeiro trimestre do ano na programação do ciclo EGO,
que vai incluir ainda os Quadra, quinteto também oriundo de Braga, que faz a sua música
dentro do universo pós-rock.
A banda constituída por Sérgio Alves (baixo), Sílvio Ren (guitarra), Lucas Palmeira (teclas), Hugo
Couto (bateria) e Gonçalo Carneiro (guitarra) vai apresentar-se em Guimarães a 24 de
Fevereiro, trazendo consigo algum do material que vai constar do seu primeiro disco, a editar
no mês seguinte.
Em 2017, os Quadra lançaram o seu primeiro EP, considerado pelo site especializado em
música portuguesa Produto Interno Bruto como um dos melhores nacionais do ano. A banda
foi também apontada como uma das 20 revelações nacionais para a publicação Thres Hold
Magazine.

Em Março, chegam os primeiros convidados internacionais do ano no ciclo EGO. São os Plastic
Man, vindos dos arredores de Florença, em Itália, para mostrar a sua música influenciada por
compilações psych dos anos 1960 e uma mistura de estilos que vai buscar influências ao acid
rock, garage punk e stoner.
Raffaele Lampronti (guitarra e voz), Donato Guitto (guitarra e voz), Mattia Gabbrielli (baixo e
voz) e Giacomo Papini (bateria) juntaram-se em 2013, criando o seu primeiro EP de quatro
faixas, “Light & Dark”, editado em vinil pela Misty Lane. Dois anos depois, lançaram o álbum de
estreia, “Don’t Look at the Moon”, que lhes valeu grande exposição um pouco por toda a
Europa, com concertos na Alemanha, França, Suíça, Inglaterra, Bélgica e Holanda.
Nunca tocaram, no entanto, em Portugal. Fazem a sua estreia em Guimarães a 9 de Março,
num concerto em que vão mostrar o material do novo trabalho discográfico, “Sounding
Aquarium”, que tem edição para Abril de 2018 pela Annibale Records.
O ciclo de programação EGO, promovido pela Capivara Azul – Associação Cultural, estreou-se
em Novembro do ano passado, com um concerto duplo internacional – as norte-americanas
Leggy e os bascos Albert Cavalier – a que se seguiu a apresentação do projecto de música
improvisada Krake, do baterista Pedro Oliveira (peixe : avião, Dear Telephone). A intenção
desta iniciativa é trazer a Guimarães projectos musicais que toquem pela primeira vez na
cidade, com especial atenção ao território do rock alternativo.
Ao longo do 2018, a programação regular deste ciclo terá o apoio da Câmara Municipal de
Guimarães, através do  Regulamento de Atribuição de Subsídios às Atividades das Entidades
que Prossigam Fins Culturais, Artísticos, Recreativos ou Humanitários do Município de
Guimarães. Tem como parceiros o Centro para os Assuntos da Arte e Arquitectura, Estúdio
Lobo Mau, Cerveja Letra e a Rádio Universitária do Minho.
Mais informações nos links abaixo
facebook Grandfather’s House https://www.facebook.com/grandfathershouseband/?fref=ts
bandcamp Granfather’s House https://grandfathershouse.bandcamp.com/
facebook Quadra https://www.facebook.com/Quadraa/
bandcamp Quadra https://quadraband.bandcamp.com/
facebook Plastic Man https://www.facebook.com/plasticmanband/
bandcamp Plastic Man https://plasticmanband.bandcamp.com/
facebook Capivara Azul https://www.facebook.com/Capivara-Azul- 1533429536676069/

12 Poetic and Dialogical Strategies, orientado por Yehuda E. Safran

0001

De 8 a 13 de Janeiro

Este seminário pretende trazer à discussão conceitos-chave pertinentes, tais como Ironia; Abstracção e Empatia; Repetição; Melancolia e Melancolia Sublime; O Sublime e o Inutilidade do Sublime; Vozes do Exílio; Astúcia e Silêncio; Redução Fenomenológica e outras Reduções; Sentido e Absurdo etc. Estes conceitos serão debatidos a partir de uma análise fenomenológica e serão apresentados e ilustrados usando referências à arquitectura contemporânea, arte, literatura, cinema e música.

Os participantes são convidados a contribuir com as suas ideias e considerações durante o seminário, serão convidados a ler textos seleccionados e a fazer uma apresentação sobre uma estratégia à sua escolha. Seguiremos o caminho do pensamento e da construção do nosso ponto de vista teórico em vez de simplesmente aprender do passado, incentivando os participantes a pensarem fora da “caixa”, teorizando os seus próprios conceitos.

O Seminário irá realizar-se na Biblioteca Yehuda E. Safran, que se encontra em depósito no CAAA, cujo espólio bibliográfico, é dedicado à Arquitectura, Artes Visuais, Cinema, Música, Filosofia e Literatura.

De 8 a 13 janeiro 2018, dividido em 6 sessões em horário pós-laboral:

- dias 8 a 12 das 18:30 às 20:30 / dia 13 das 10:30 às 12:30

Seminário leccionado em Ingles

Até 20 participantes

Valor: 30€ sócios | 40€ não sócios