programação /teatro

Borderline

19702137_10209458066196327_2541214885862275716_n

6, 7 e 8 de Julho às 21h30

“O GPS diz “Faça inversão de marcha.”.
E tu fazes, mesmo quando sabes que tens de subir aquela rua e ele te está a mandar descer.
Acabas de fazer inversão de marcha e ele repete naquele tom de quem está preso dentro do armário.
“Faça inversão de marcha.”.
E tu fazes outra vez. E andas meia hora às voltas, antes de decidires confiar mais em ti, do que num aparelho. Quando digo meia hora e aparelho e GPS, quero dizer outras coisas. Quero, talvez, dizer outras coisas.

Tu desligas o GPS. É isso que queres.
Hoje, aqui. É isso que elas querem. Talvez.
Talvez usem um mapa, ou uma bússola ou um mapa e uma bússola. Ou talvez, decidam que não precisam de saber em que direcção estão a andar, para estarem de facto a andar.”

Rita Silva

Texto: Rita Silva
Encenação: Mário Alberto Pereira
Interpretação: Francisca Sarmento, Luísa Dieguez, Marta Ferreira e Mário Alberto Pereira
Sonoplastia: Renato Penino Azul
Artwork: Tiago de Carvalho – Oaktree

M/ 16
Bilhete 3€

Lotação 80 lugares

Reservas + info:
+351 915 044 788
pereiramarioas@gmail.com

Conversas Performáticas

post

8 de Julho, 16h

A propósito da apresentação em Outubro de Pigafetta, um espectáculo de Marcos Barbosa e David Colorado, que tem algumas características singulares, que vão mais além da duração de 24 horas consecutivas, organizamos este conjunto de conversas, que abordam várias questões que envolvem os temas fundamentais desta peça, e que servem de introdução, discussão e preparação para este acontecimento.

A primeira conversa aconteceu a 13 de Maio, com David Colorado, que desde Buenos Aires, conversou perfomaticamente com Marcos Barbosa, através do monologo Uma Viagem a Roma, numa experiência de manipulação da peça através da participação do público.

A 10 de Junho, Fadi Skieker e Marcos Barbosa, conversaram sobre uma das questões levantadas por Pigafetta, a relação com o Outro, o estranho que invade o nosso espaço, e a pertinência da ficção como forma de reacção aos acontecimentos reais e dramáticos que nos envolvem. Esta conversa faz a viagem de encontro e desencontro entre a Síria e Portugal, um dialogo de claridade e de sombras, quase quase teatro.

A 8 de Julho é a vez do encontro entre Manuel Fúria, autor da música que fez a banda sonora de Pigafetta e compôs e dirigiu a parte musical do espectáculo O Conto de Inverno, de William Shakespeare, e Marcos Barbosa, encenador dos dois espectáculos. Um encontro com o título Drama per música, onde do texto de Pigafetta (1525), passamos para o Conto de Inverno (1609), invertemos papeis, relemos o texto, e redescobrimos a música que aparece por dentro das peças. Quem interpreta o quê? A conversa acontece às 16h.

A 9 de Setembro falamos com Marta Wengorovious sobre a participação do público, e a criação de uma comunidade através da palavra. A conversa é mediada por Marcos Barbosa, e pretende dar a conhecer o trabalho desta artista, que tem vários trabalhos com um conteúdo muito próximo daquilo que acontece no espectáculo Pigafetta. A conversa acontece pelas 19h.

Entrada Livre

Com o apoio:

logo dgartes